O rapaz vai com um amigo no estádio assistir um jogo de futebol. Como a casa da avó velhinha fica no caminho ele resolve dar uma passadinha para cumprimentá-la. Aproveitando a presença do neto, a velhinha pede para ele consertar um vazamento na pia da cozinha. Enquanto isso, ela leva o amigo do neto para a sala e oferece-lhe uma bebida. Junto com o copo está um pratinho de amendoins que o rapaz come sem parar, um por um. Tarde demais ele percebe que comeu tudo que havia no prato. Na hora de ir embora ele agradece calorosamente a avó do amigo:
– E obrigado pelo amendoim… Espero não ter abusado, não lhe deixei nenhum, desculpe!
A vovó, amável, responde:
– Não tem problema, meu filho. De qualquer jeito não posso mais comê-los. Depois que perdi meus dentes, eu só lambo o chocolate que vem em volta.


Joãozinho está chorando na calçada e o avô vem consolar:
– Por que você está chorando?
– Eu perdi uma nota de um real.
– Não chore. Tome aqui duas notas de um real
– Snif… Buáaaaaaa!!!
– E agora, meu filho, por que você está chorando?
– Eu devia ter dito que tinha perdido uma de cinco reais…


caipira: Dotô, faiz um tempão que o meu pingolim tá vermeio e me dá uma coceira marvada que só. O Sinhô tem um remédio pra mim miorá?
Médico: O seu caso não é difícil de ser tratado. Pra você melhorar vou receitar: Cortizona na quarta, na sexta e no domingo, na segunda feira você volta aqui.
Na segunda, o caipira volta, cabisbaixo, todo amarrotado.
Médico: E aí, melhorou?
Caipira: Miorei nada doto, meu pinto tá mais vermeio e coça pra chuchu.
Médico: Se você não melhorou é porque fez aquilo que eu disse.
Caipira: Fiz sim, curti zona na quarta, curti na sexta e no domingo. Cumi o rabo de tudo aquelas put* e no domingo o rabinho dum viadinho que tava por lá se
piscando todo pra mim. E o sinho vem dize que eu não curti zona. Orre égua.