Naquele restaurante metido à besta, o maitre vem com uma conta de 1.000 reais por um frango assado e, ante o olhar de pasmo do freguês, vai logo avisando que só atende gente de elite que nunca discute preços.
– Ninguém está impressionado com a conta – diz o freguês.
– Mas acho que é um pecado sacrificar um animal de tamanho valor!


Uma atendente trabalhando sozinha no balcão com uma fila enorme bem na semana do feriadão. Aí um general reformado grita lá de trás…
– Mas essa P%&$#@ dessa fila anda ou não anda???
– Desculpe, mas o senhor precisa respeitar a fila. como os demais. Quando chegar a sua vez, farei tudo para satisfazê-lo.
Ele estufou o peito e gritou
– Ninguém fala assim comigo, sua $#@!!! Eu vou te fuder, heim!
E ela:
– Desculpe, senhor, mas mesmo para isso, o senhor vai ter que esperar na fila!


Com essa confusão nos aeroportos, os ânimos ficaram pra lá de exaltados.
E a coisa piorou quando um voo lotado foi cancelado. Daí puseram uma única funcionária para atender a uma longa fila de passageiros estressados. De repen­te, um passageiro irritado furou a fila até o balcão e disse:
– Eu tenho que estar neste voo!!! A funcionária respondeu:
– Desculpe, terei todo o prazer em aju­dar, mas tenho que atender estas pesso­as primeiro, já que elas também estão aguardando pacientemente na fila.
O passageiro, grosso pra dedéu, gri­ta para que todos na fila ouvissem:
– VOCÊ FAZ ALGUMA IDÉIA DE QUEM EU SOU, MENINA?
Sem hesitar, a funcionária sorriu, pe­gou no microfone anunciando:
– Posso ter um minuto da atenção dos senhores, por favor? (A voz ecoou por todo o terminal). Nós temos aqui no balcão um passageiro que não sabe quem é e deve estar perdido. Se alguém é responsável pelo mesmo, parente, ou então puder ajudá-lo a descobrir a sua identidade, fa­vor comparecer aqui no balcão. Obrigada!