Aquele jovem gauchinho vai ao psicólogo dizendo que quer mudar de vida.
– Tchê, quero mudar… eu nunca quis ser assim! Fui forçado a isso! Quando eu tinha uns 13 anos, estava brincando no jardim, quando o meu primo apareceu de repente e me possuiu… foi horrível…
– Mas você não poderia ter escapado? Não tentou correr?
Tentei, mas de salto alto e saia justa, cadê velocidade?!


Em uma igreja, o pastor olha para a platéia e diz:
– Vamos correr a sacolinha! Coloquem toda a quantia que puderem!
Os fiéis, mesmo os mais pobres, acabam dando o que têm no bolso e mesmo os que não têm ficam constrangidos de não dar nada. Nem bem a sacola caiu nas mãos dos fiéis, o primeiro gritou:
– Eu tenho 10 Reais! – e colocou seu dinheiro lá dentro.
– Eu tenho 20 pratas! – e lá se foram mais 20 reais.
A sacolinha enchia, até que ela caiu na mão de um aposentado que disse:
– Eu não tenho nada!
O pastor retrucou de imediato:
– Então pega, irmão! Se precisas realmente, pegue tudo para você!
Emocionado, o senhor pegou o dinheiro, guardou no bolso, e disse:
– Poxa… Sempre achei que essas igrejas só quisessem nosso dinheiro, mas vocês encheram meus bolsos!
– Sim, irmão! – respondeu o pastor -Mas agora que tens, coloca tudo aí na cesta!


Uma atendente trabalhando sozinha no balcão com uma fila enorme bem na semana do feriadão. Aí um general reformado grita lá de trás…
– Mas essa P%&$#@ dessa fila anda ou não anda???
– Desculpe, mas o senhor precisa respeitar a fila. como os demais. Quando chegar a sua vez, farei tudo para satisfazê-lo.
Ele estufou o peito e gritou
– Ninguém fala assim comigo, sua $#@!!! Eu vou te fuder, heim!
E ela:
– Desculpe, senhor, mas mesmo para isso, o senhor vai ter que esperar na fila!


Vinte minutos depois da tacada inicial, uma jovem entra na sede do clube de golfe, chorando de dor.
– O que aconteceu? – pergunta um veterano profissional.
– Fui mordida por uma abelha!
– Nossa! Onde foi?
– Ai… Entre o primeiro e o segundo buracos.
– Humm… – observa o veterano golfista, num ato falho extremamente profissional, procurando ensinar a principiante.
– Você precisa corrigir a sua postura. Está jogando com as pernas muito abertas.


Preocupado com o futuro de seu filho único, aquele pai chama um psicólogo para analisá-lo. O psicólogo então, indo à casa do Coronel, fez três perguntas ao moleque:
– Qual é o seu número de sorte?
– Ah, é o 11!
– Que animal você gostaria de ser?
– Ora, o jacaré!
– E qual é a profissão que você quer exercer?
– Eu quero ser advogado! Dirigindo-se ao Coronel, o psicólogo então tranquilizou-o:
– Pode ficar sossegado, meu amigo, que seu filho não escolheu 24 como número, nem o veado como animal, e como profissão ele quer ser advogado, e não cabeleireiro ou decorador de interiores.
O Coronel, satisfeito, disse ao filho que estava muito orgulhoso dele e que gostaria de saber o motivo daquelas escolhas.
– Ora, papi! Escolhi o 11 porque é 1 atrás do outro; escolhi o jacaré porque defende-se com o rabo; e quero ser advogado porque pula de uma vara a outra!